Fadiga e doenças autoimunes

Arte quadrada com imagem de uma mulher sentada em uma mesa de trabalho, mas com fadiga. Do lado esquerdo há a chamada "Fadiga e Doenças Autoimunes". No canto inferior direito está o logo da Clínica Creta - Centro Avançado de Infusões

Quase todo mundo está cansado ou sobrecarregado nesses últimos tempos. A fadiga vem apontando índices altíssimos e é um dos sintomas recorrentes ligados à pandemia de Covid-19. Mas, antes disso, ela já aparecia como um dos sintomas ligados a pacientes que possuem doenças autoimunes, configurando uma exaustão implacável, isto é, que não é temporária. A fadiga, nestes casos, aparece de forma mais acentuada e profunda e não é aliviada pelo descanso.

A fadiga, no caso de pacientes que apresentem alguma doença autoimune, é um estado de cansaço quase constante e que se desenvolve com o tempo e reduz sua energia, motivação e concentração. Isso acaba afetando diretamente o bem-estar emocional e psicológico dos pacientes, levando, normalmente, a uma acentuação da doença.

Para combater a fadiga neste casos é importante que que o paciente esteja passando por um acompanhamento médico da sua condição clínica e conversar com este profissional da área que o acompanha para estabelecer, além do tratamento clínico, hábitos saudáveis que possam ser incluídos na sua rotina, como:

Internalizar hábitos alimentares saudáveis diariamente
Beba mais água; não pule refeições e mantenha os horários de pelo menos 3 refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar), intercaladas por pequenos lanches; inclua alimentos 100% integrais a sua dieta; fique atento ao sal e evite o consumo frequente de alimentos embutidos como salsichas, salames, linguiça e presunto; consuma de três a cinco frutas por dia; e principalmente, mantenha o prazer de comer, evite fazer as refeições com pressa e saboreie cada alimento

Valorizar uma noite de sono suficiente para o descanso e com boas práticas de higiene do sono
Uma hora antes de ir para a cama, desligue a TV, o celular ou o computador. De preferência para atividades mais relaxantes como a leitura de um livro, um trabalho manual ou ainda a meditação. use esse tempo para tomar um banho relaxante e deite-se, mesmo que sem sono. Isso trará uma regularização da chegada do sono. Programe seu despertador para dali, pelo menos 8 horas e quando acordar, tente fazer um alongamento leve, desperte seu corpo devagar para iniciar a sua rotina.

Incluir uma atividade física indicada para a sua condição na sua rotina
Avalie com seu médico qual atividade ele recomenda que você faça de acordo com o seu caso. Comece, com uma ou duas vezes na semana e vá seguindo as recomendações do seu médico. Os benefícios dos exercícios não são imediatos, mas com o tempo você vai percebendo uma maior qualidade de vida, diminuição das dores e maior bem estar físico e psicológico.

Evitar o uso de álcool, cigarro ou outras drogas
Estas substâncias, além de desregrarem o sono, também não fazem bem ao organismo.

Se você quer ler mais dicas sobre bem-estar, acesso nosso blog e siga nossas redes sociais! E para informações sobre o Centro de Infusão, veja esta matéria completa!