Psoríase: entenda os diferentes tipos e tratamentos disponíveis

psoríase

Crônica, cíclica e não contagiosa, a psoríase é uma doença de pele considerada comum, atingindo cerca de 125 milhões de pessoas em todo o mundo. Sua causa ainda é desconhecida, mas já se sabe que ela pode estar relacionada com o sistema imunológico, com o meio ambiente e com fatores genéticos. Confira seus diferentes tipos e tratamentos disponíveis.

No organismo, ela é desencadeada quando células de defesa do corpo chamadas leucócitos T geram uma ação inflamatória na pele, que é respondida com a maior produção de células também de defesa chamada neutrófilos. A intensidade desse ciclo proporciona a formação de escamas e consequentes placas na pele, já que a velocidade do processo impede que as células sejam eliminadas eficientemente. Frequentemente, casos de psoríase estão associados a outras doenças, como artrite psoriática, doenças cardiometabólicas, doenças gastrointestinais, alguns tipos de câncer, entre outras.

A psoríase pode se manifestar de maneira diferente em cada indivíduo. E, por isso, é importante lembrar que existem diferentes tipos da doença:

✅ A Psoríase em Placas ou Vulgar é a manifestação mais comum da doença. Nela, ocorre a formação de placas secas, avermelhadas com escamas prateadas ou esbranquiçadas, com coceira e, em alguns casos, dores. Essas placas podem atingir todo o corpo, e, nos casos mais severos, a pele ao redor de articulações pode ressecar e apresentar sangramento.

✅ A Psoríase Ungueal afeta as unhas das mãos e dos pés, fazendo com que a unha cresça de forma anormal, engrosse, escame, mude de cor e até se deforme, podendo inclusive causar descolamento da unha.

✅A Psoríase do Couro Cabeludo causa o surgimento de áreas avermelhadas com escamas espessas branco-prateadas, principalmente após coçar. O paciente pode perceber os flocos de pele morta em seus cabelos ou em seus ombros, especialmente depois de coçar o couro cabeludo. Por isso, é muito comum que se confunda com a caspa.

✅ A Psoríase Gutata, mais comum em crianças e jovens até os 30 anos, geralmente é desencadeada por infecções bacterianas, como as de garganta. É caracterizada por pequenas feridas em forma de gota pelo tronco, braços, pernas e couro cabeludo. As feridas são cobertas por uma fina escama, diferente das placas típicas da psoríase, que são grossas.

✅ A Psoríase Invertida afeta principalmente áreas úmidas do corpo, como axilas, virilhas, embaixo dos seios e ao redor dos genitais, e pode agravar-se em pessoas com excesso de peso ou com sudorese excessiva.

✅ A Psoríase Pustulosa caracteriza-se por manchas, bolhas ou pústulas em todas as partes do corpo ou em áreas menores, como mãos, pés ou dedos (chamada de psoríase palmoplantar). Essa manifestação da doença geralmente tem evolução rápida, com bolhas de pus que aparecem poucas horas depois de a pele tornar-se vermelha. Essas bolhas normalmente secam após poucos dias, mas podem continuar aparecendo por semanas. Essa manifestação da doença também pode causar febre, calafrios, fadiga e coceira.

✅ A Psoríase Eritrodérmica é o tipo menos comum. Ela pode ser desencadeada por queimaduras graves, tratamentos intempestivos (como uso ou retirada abrupta de corticosteróides), infecções ou por outro tipo de psoríase mal-controlada, atinge o corpo todo e causa o surgimento de manchas vermelhas que podem coçar ou arder intensamente.

✅ A Psoríase Artropática, além da inflamação na pele e da descamação, causa fortes dores nas articulações. Também conhecida como Artrite Psoriática, ela afeta mais comumente as articulações dos dedos dos pés e mãos, coluna e juntas dos quadris, podendo causar rigidez progressiva e até deformidades permanentes, e pode estar associada a qualquer forma clínica da psoríase.

O tratamento da psoríase também depende de sua forma, grau e intensidade. Os tratamentos mais comuns envolvem o uso de medicamentos em cremes e pomadas, aplicados diretamente na pele, que podem ser usados em conjunto com outras terapias ou isoladamente, em casos de psoríase leve.

Também se faz o uso de tratamentos sistêmicos, com medicamentos em comprimidos ou injeções, geralmente indicados para pacientes com psoríase de moderada a grave e/ou com artrite psoriásica, assim como os tratamentos com medicamentos biológicos e terapias infusionais como oferecemos na Clínica Creta.

Em casos moderados, quando os tratamentos não melhoram os sintomas, pode-se recomendar o tratamento com exposição à luz ultravioleta A (PUVA) ou ultravioleta B (banda estreita). Esse tratamento consiste na exposição da pele à luz ultravioleta de forma consistente e com supervisão médica e profissionais especializados.

A psoríase pode, também afetar o campo emocional das pessoas que convivem com ela, desencadeando questões com autoestima que podem, inclusive, trazer piora no quadro. Por isso, recomenda-se que a doença seja combatida de forma multidisciplinar, contando inclusive com acompanhamento psicológico.

Para receber mais novidades sobre terapias infusionais e medicamentos biológicos siga a Clínica Creta nas redes sociais!