Dia Mundial da Asma: entenda sobre Asma Alérgica e o tratamento biológico

asma e tratamento biológico

O dia 4 de maio é a data reservada para a conscientização da asma em todo o mundo. Organizado pela Global Initiative for Asthma (GINA), uma organização colaborativa da OMS, que reconhece a importância em divulgar dados e informações sobre doença como forma de serviço prestado à saúde pública. Leia este artigo e entenda mais sobe a asma e tratamento biológico.

De acordo com a OMS, estima-se que mais de 339 milhões de pessoas tiveram asma em todo o mundo e houve 417.918 mortes devido à asma em nível global em 2016. No Brasil, a prevalência de asma é de 20% entre os adolescentes, e apenas 12,3% dos asmáticos estão com a doença bem controlada.

O tema da campanha deste ano é “Descobrindo os Equívocos sobre a Asma”, que visa abordar mitos e conceitos errôneos amplamente difundidos a respeito da doença. Entre eles, ser uma doença que acomete apenas crianças, ser infecciosa, dizer que quem sofre de asma não deve se exercitar ou que a asma só é controlável com corticoides em altas doses.

A asma é uma doença em que as vias respiratórias se estreitam e aumentam, podendo produzir muco extra. Isso pode dificultar a respiração e provocar tosse, um som de assobio (respiração ofegante) ao expirar e falta de ar. A asma não tem cura, mas seus sintomas podem ser controlados. Como a asma costuma mudar com o tempo, é importante que o paciente sempre converse com seu médico para monitorar seus sinais e sintomas e ajustar seu tratamento conforme necessário.

Para algumas pessoas, os sinais e sintomas de asma aumentam em certas situações. Quando a Asma é induzida por exercícios (mas lembrando que quando a asma está bem controlada, os asmáticos são capazes de se exercitar e até mesmo praticar esportes de ponta); ou em casos de Asma ocupacional, desencadeada por irritantes do local de trabalho, como vapores químicos, gases ou poeira; e ainda a Asma induzida por alergia, desencadeada por substâncias transportadas pelo ar, como pólen, esporos de mofo, resíduos ou partículas de pele e saliva seca derramada por animais de estimação.

No controle da asma alérgica em casos persistentes moderados a grave, o tratamento biológico tem sido empregado em adultos e crianças (acima de 6 anos de idade) cujos sintomas não estão controlados por corticosteroides inalatórios. O Omalizumabe, o mais conhecido e prescrito atualmente, age bloqueando a imunoglobulina E (também conhecida simplesmente como IgE) que é produzida pelo nosso corpo e tem um papel fundamental na causa da asma alérgica.

Quer saber mais sobre tratamentos biológicos? Siga a Clínica Creta nas redes sociais.