Abril Marrom: prevenção e combate à cegueira

abril marrom cegueira

Adalimumabe é usado no tratamento de formas não infecciosas de Uveíte

O mês de Abril é marcado pela campanha de conscientização sobre a prevenção e combate às causas de cegueira. A campanha Abril Marrom tem o objetivo de alertar a população sobre a importância de visitas regulares ao oftalmologista, de maneira a prevenir e, se necessário, diagnosticar precocemente doenças que podem levar à perda de visão e que, em 80% dos casos, são tratáveis.

Doenças como ceratocone e catarata podem levar à cegueira reversível, assim como o descolamento de retina, quando tratado com urgência. Da mesma forma, a Uveíte também pode ser tratada.

A Uveíte é um conjunto de doenças nos olhos, que surge devido a uma inflamação da úvea, que corresponde a 03 estruturas: íris, corpo ciliar e coróide. Ainda de causa desconhecida, a doença é classificada por meio de sua localização no olho.

  • A Uveíte anterior ou iridociclite é o tipo mais comum da doença, e corresponde à inflamação da íris e dos corpos ciliares. Ela pode ocorrer como um único episódio, mas sua forma mais comum é recorrente ou crônica.
  • A Uveíte intermediária ou vitreíte é a inflamação da úvea na cavidade vítrea, caracterizada pela presença de células inflamatórias no vítreo visíveis em exames de imagem.
  • A Uveíte posterior ou coriorretinite, de causa geralmente infecciosa, é a inflamação da retina e da coróide, e causa perda da acuidade visual.
  • Já a Pan-uveíte, é a inflamação de todas as camadas da úvea

A classificação das uveítes também acontecem de acordo com sua intensidade e duração (se aguda ou crônica), e seus sintomas podem envolver olhos vermelhos, hipersensibilidade à luz, dor nos olhos e visão turva, embaçada ou a percepção de pequenos pontos escuros que se movimentam. As causas da doença não são totalmente conhecidas.

No Brasil, a manifestação mais comuns é a uveíte anterior ligada à doenças autoimunes e/ou predisposição genética, enquanto a uveíte posterior é mais tipicamente ocasionada por doenças infecciosas, como a toxoplasmose.

O tratamento da doença depende do que a causa, e frequentemente acontece a partir do uso de colírios e remédios administrados via oral. Mas em casos de uveíte causada por doenças autoimunes, o tratamento acontece por meio do uso de corticóides ou medicamentos imunossupressores. Casos de uveíte não infecciosa não anterior também contam com a possibilidade de um medicamento biológico para o tratamento, o adalimumabe (Humira), que fazemos o uso em terapias infusionais na Clínica Creta.

Esse medicamento funciona como uma alternativa para pacientes cuja resposta ao uso de corticoesteróides não tenha sido satisfatória, ou como uma alternativa para a redução do uso dessas substâncias. Composto por um anticorpo monoclonal totalmente humano, o adalimumabe é o primeiro biológico aprovado para tratamento de pacientes adultos com formas não infecciosas de Uveíte.

Quer saber mais sobre outras doenças e seus tratamentos? Siga a Clínica Creta nas redes sociais e confira mais informações sobre tratamentos infusionais!